IPO e Você
Carregando
#

Tosse

2018-04-23 09:00:00,

A tosse é a principal causa de procura a atendimento médico em todo o mundo. Este sintoma produz grande impacto na vida dos pacientes, gerando faltas ao trabalho e à escola, alto custo com medicamentos (como xaropes), constrangimento público, prejuízo do sono, incontinência urinária e ansiedade a respeito da sua causa. Muitas vezes apenas o sintoma é tratado e a sua causa não é investigada, o que pode não solucionar o problema e, assim, a tosse tornar-se persistente.

A causa e o tratamento da tosse dependem do seu tempo de duração, que pode ser classificado como:

  • - Aguda: é a presença do sintoma por um período de até três semanas.
  • - Subaguda: tosse persistente por período entre três e oito semanas.
  • - Crônica: tosse com duração maior que oito semanas.

Essa classificação nos orienta na investigação diagnóstica. Por exemplo, enquanto a tosse aguda e subaguda são causadas principalmente por infecções de vias aéreas superiores (resfriado, gripe, sinusite, laringite etc), a tosse crônica pode estar ligada a outras doenças como: asma, tabagismo, doença do refluxo gastro-esofágico, insuficiência cardíaca entre outras.

Dessa forma fica fácil entender porque a grande maioria dos quadros de tosse se resolve em poucos dias e até espontaneamente! São os casos de infecções virais autolimitadas, como os resfriados comuns. Esse é o tipo de tosse mais frequente e é o dia-a-dia dos otorrinos, pneumologistas e médicos da emergência. No entanto, 8-10% da população adulta apresenta tosse crônica e essa é um desafio diagnóstico maior! Como vimos acima, não são apenas as doenças respiratórias que podem causar tosse crônica, mas também doenças de outros aparelhos e sistemas como: estômago, esôfago, coração e sistema nervoso. Muitas vezes esses fatores podem estar associados, dificultando ainda mais o tratamento.

O manejo desses pacientes é difícil e, geralmente, a resposta ao tratamento é limitada. Por essa razão, nesses casos, é necessário um acompanhamento especializado e investigação minuciosa. Muitos exames podem auxiliar no diagnóstico e devem ser solicitados de acordo com a história clínica de cada paciente, de forma personalizada. Dessa forma, podemos identificar corretamente a origem da tosse crônica e tratá-la de forma eficaz!

Dra. Josiane Chiesorin Vaine Marchioro – CRM: 22008 / RQE 16683